25/10/2016

INDICADORES DE RIQUEZA

O enriquecimento contido nos detalhes

Por: Agnus Acontece

  Duas companhias se iniciam com o mesmo capital, com iguais oportunidades de negócio, no mesmo nicho e também no mesmo tempo e ambiente econômico, porém uma enriquece e a outra mantém resultados medianos e um alcance singelo de mercado, quem sabe até acaba nem permanecendo. Muitas podem ser as razões para essa diferença de desempenho, afinal empresas são compostas por uma infinidade de detalhes, mas por certo empresas de sucesso no atual mercado tem uma característica em comum:  a medição de resultados.

  O estabelecimento de métricas e Indicadores de desempenho já é prática comum nos ambientes coorporativos e, mais especificamente aqui, no meio logístico. Contudo a intenção neste artigo é mostrar que além de performance operacional , KPIs logísticos (Key Performance Indicator)  são também medidores de ganho ou perda de DINHEIRO, o que pode significar para uma empresa o sucesso ou não de seus negócios. Segue algumas situações observadas em empresas a que temos acesso e respectivos Indicadores de controle:

 

·         ERROS DE CONFERÊNCIA NA EXPEDIÇÃO: 

   Pode gerar retorno de mercadorias se o cliente final refugar o material recebido. Fretes retorno custam numa média entre regiões 60 % dos chamados “frete ida”, o que significa mais baratos, mas não  gratuitos. Um indicador de acuracidade na expedição pode orientar decisões como remanejamento de equipes ou implantação de sistemas e equipamentos (leitores de código, WMS, etc...)

Ex:                        INDICE DE ACERTIVIDADE EM CONFERÊNCIAS

        Conferências sem erros x 100

           Total de conferências realizadas

 

 ·         VEÍCULOS NÃO CARREGADOS OU DESCARREGADOS EM DIA AGENDADO: 

   Motoristas irritados incomodando na portaria são só a ponta do Iceberg quando se fala de atrasos em recebimentos ou expedição. Além do prejuízo comercial causado no relacionamento com clientes, diárias de trucks custam em média R$ 300,00 e de carretas R$ 500,00 e, mesmo que esse custo não seja repassado diretamente ao embarcador, tem reflexo direto na inflação dos fretes que nesse caso acontece como fruto da ineficiência.

 

Ex:                        ÍNDICE DE CARREGAMENTOS NO PRAZO

   Veículos carregados sem atraso (ou descarregados) x 100

    Total de veículos carregados (ou descarregados)

 

·         EQUIPES DE ARMAZÉM OU EXPEDIÇÃO IMPRODUTIVAS: 

   Temos experimentado o poderoso efeito de metas de produtividade claras acompanhadas de premiações periódicas. Rigor gerencial pode ser substituído por uma gestão rigorosa, são coisas diferentes, onde os trabalhadores sabem o que devem produzir, como produzir e o que receberão se produzirem os resultados apontados pela companhia.Pode-se criar Indicadores de produtividade de acordo com a função ou serviço que se quer medir, usando da mesma metodologia dos exemplos anteriores.

 

·         ABSENTEÍSMO: 

   Supostamente o prêmio que recebe  um colaborador por estar presente em seu trabalho é o próprio salário. Contudo, atrasos e faltas não justificadas são um dos principais problemas  encontrados nos ambientes de expedição. Com a mesma linha de análise do Indicador anterior, pode-se entender que a hora não trabalhada custa toda uma estrutura preparada para  produzir e que , neste caso, roda com ociosidade. Analisando ainda mais a fundo, absenteísmo custa desde a lâmpada acesa e computadores ligados até o líder de setor que está disponível para gerenciar um trabalhador que não está comparecendo devidamente à sua função, ou seja, CUSTA CARO!.Assim, é ideia interessante incorporar ao sistema de premiações o componente ASSIDUIDADE.

 

Ex:                                     ÍNDICE DE ASSIDUIDADE

  Dias em que não houve atrasos e/ou faltas (coletivo ou individual) x 100

           Total de dias úteis

 

 

   Os três exemplos foram de indicadores extremante simples de aplicação e coleta de dados e o interessante é que podemos criá-los a nosso “bel prazer”, considerando especificidades de cada operação e necessidades de solução. O importante é iniciar com a metodologia de gestão a partir de controles, metas e premiações e deixar a equipe perceber que alta performance é igual a reconhecimento e aumento de remuneração (variável).

Existe toda uma infinidade de Indicadores logísticos, inclusive mais complexos do que os apresentados, e cada um deles de alguma forma vai apontar um caminho para se ganhar ou deixar de perder DINHEIRO.


MARCIO MORETE
DIRETOR COMERCIAL
marcio@agnuslog.com.br